Ateístas proíbem a celebração do Natal em base naval americana


Disse o néscio no seu coração: Não há Deus. Os homens têm-se corrompido, fazem-se abomináveis em suas obras; não há quem faça o bem.
Salmos 14:1

Considerados os 60 hectares mais movimentados do mundo, a base naval americana de Bahrein, no golfo pérsico é o lar da quinta frota da marinha dos EUA. A base concentra milhares de soldados americanos, militares de nações aliadas e suas famílias. Conforme a tradição, no Natal a base sempre celebra um evento chamado Natividade Live (Natal ao vivo) em que os filhos dos militares se vestem de pastores, reis magos, Maria e José, encenando o nascimento de Cristo e reproduzindo a tradicional cena do presépio. Essa grande festividade inclui árvore de Natal decorada, músicas natalinas, fotos com Papai Noel, etc.

Entretanto, a Associação Militar de Ateus e Livres-pensadores- MAAF (1) se opôs ao presépio e entrou com uma queixa junto ao Inspetor Geral da Marinha, argumentando que o presépio promove  “o cristianismo como a religião oficial da base.”

Ainda de acordo com a MAAF, o presépio coloca membros do serviço em perigo, pois “é preocupante a possibilidade de que a população predominantemente muçulmana local veja os militares dos EUA como uma força cristã ao invés de um apoio militar secular dos EUA – mas não necessariamente os valores cristãos em seu país muçulmano.”

Jason Torpy, porta-voz da MAAF disse em entrevista ao canal de televisão americano Fox News, que o evento “ameaça a segurança dos EUA e viola a Constituição, bem como a cadeia de comando. É inconstitucional, é ruim para os militares e, em um país muçulmano, é perigoso.”

Em uma declaração supostamente enviada pela Marinha ao MAAF, o evento Natividade Live será realizado em algum feriado “secular” em outra época do ano e será transferido para fora da base militar, em “local mais adequado”, onde deverá ocorrer juntamente com “outras festividades religiosas privadas” e com “observância em preceitos religiosos específicos” em uma capela.

O cancelamento trouxe tristeza geral e as crianças que iriam atuar na encenação do nascimento de Cristo ficaram arrasadas. Um oficial americano, que preferiu permanecer no anonimato declarou:  “foi horrível, foi devastador. Aqui estamos servindo no Oriente Médio, defendendo o nosso país e as religiões de outras pessoas e não conseguimos entender por que não podemos desfrutar de nossas próprias liberdades religiosas”.

Outro entrevistado, Jack Tar, declarou: “Você pode ir para fora da porta e ouvir a música de Natal, mas na base você não pode celebrar o Natal. A hipocrisia é impressionante’.

O presépio chegou a começar a ser montado, porém, ordens superiores fizeram com que fosse rapidamente desmontado.

Ainda não satisfeito, Torpy da MAAF  disse comparou o presépio da base naval com escravidão infantil: “Isso equivale aos Estados Unidos promoverem o cristianismo usando indefesas crianças vestidas com roupões.

(1)    Military Association of Atheists and Freethinkers (MAAF)

Artigo publicado originalmente em 11 de dezembro de 2012, por Timothy Whiteman, do site The Examiner, sob o título original U.S. Navy cancels Christmas in the Persian Gulf.

Tradução: Blog Esquerdopatia.
Reprodução livre, desde que citadas as fontes.

Fonte do artigo original:
http://www.examiner.com/article/u-s-navy-cancels-christmas-the-gulf

Anúncios

Sobre Esquerdopatia

Minha missão é abrir os olhos para o mal que vem tomando os corações e mentes do mundo, uma psicopatia grave chamada esquerda, socialismo, comunismo ou coletivismo e seus companheiros de viagem, quais sejam: feminismo, islamismo, gayzismo, globalismo, paganismo, ateísmo. Muitas mentes e almas já estão perdidas, tamanha a lavagem cerebral a que foram submetidas, e não vêem o mal, mesmo que este lhes estapeie a cara. Porém, algumas ainda tem salvação. Nestas que pretendo concentrar meus esforços. So help me God.
Esse post foi publicado em Catolicismo, Estados Unidos, Revolução cultural e marcado , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Ateístas proíbem a celebração do Natal em base naval americana

  1. João disse:

    Concordo com eles. O militarismo deve ser laico, assim como o estado. Não se deve pregar religiosidade (seja ela qual for) em bases militares nem em repartições públicas, caso contrário estaremos criando uma força perigosa demais para controlar, pois, como a história tem nos mostrado, as piores atrocidades do mundo foram (e são) cometidas em nome da religião. As forças militares religiosas atribuem todas as suas barbáries em nome de Deus, o que é um completo absurdo.

    • Esquerdopatia disse:

      Ninguém estava querendo converter as forças armadas americanas ao catolicismo, budismo ou qualquer outra religião. As pessoas que eram cristãs estavam apenas querendo comemorar o Natal de acordo com suas tradições, neste caso em específico, a tradição cristã – e isto lhes foi negado. O nome disso é intolerância, pura e simples. Ninguém que não quisesse participar seria obrigado, tenho certeza. O mesmo direito deve ser concedido a qualquer um que queira (ou não), expressar sua fé. Esse ato de censura e repressão está crescendo contra os cristãos no mundo inteiro, inclusive no Brasil. Em muitos lugares, inclusive, cristãos são perseguidos e assassinados, pelo simples fato de crerem em Cristo.
      Quanto às atrocidades praticadas em nome da religião, ninguém matou mais pessoas até hoje do que o ateísmo, mesmo que se some todas as religiões juntas. Com relação a esta questão em particular, recomendo a leitura do artigo https://esquerdopatia.wordpress.com/2012/12/19/ateismo-um-assassino-imbativel/
      Saudações.
      Blog Esquerdopatia

      • joao disse:

        O que seria a santa inquisicao então? Ou devemos negar que houve um genocidio em nome de Deus? A igreja católica matou um número incontáveis de pessoas durante centenas de anos, isso sem falar dos padres pedofilos nos dias atuais. O que estou dizendo é que “tudo pode em nome de Deus”. Não sou dono da verdade, mas acredito que Deus reprova estas atitudes.
        Outra coisa, o militarismo deve ser laico. Um quartel ou uma base militar não deve ter pessoas expressando suas opiniões. Isso define o militarismo, puramente isso. E também porque quem a Deus adora, nunca deveria pegar em armas. Opinião própria.

      • Esquerdopatia disse:

        Desculpe a demora em responder, mas estou curtindo minhas férias. Seus questionamentos são pertinentes.
        Sim, a Inquisição matou muita gente, sem dúvida e esse argumento que sempre vêm à tona e é usado à exaustão por ateístas e esquerdistas para atacar a Igreja Católica. Porém, temos que levar em consideração os seguintes pontos:
        1) A Inquisição Espanhola, em um século e meio, matou menos gente do que do que o islamismo mata em um ano;
        2) A Inquisição Espanhola, em um século e meio, matou menos gente do que do que o comunismo ateu matou em um década. O comunismo ateu é responsável por mais de 100.000.000 (cem milhões de mortos). E continua matando e perseguindo gente até hoje. No entanto, está cheio de gente usando camiseta de Che Guevara, defendendo Cuba, e tem socialista suficiente para povoar o sistema solar. Se não fosse trágico, até poderia ser “engraçado”.
        Não se trata de justificar um erro com o outro, mas é gritante a diferença no número de vítimas. Os cristãos são sempre os alvos de críticas, pois somos tolerantes e não vamos emitar fatwas mandando matar os “cães infiéis” que ousarem ir contra a nossa religião, como o islam faz, por exemplo.
        3) A festa de Natal ocorria na base naval, por tradição, desde sempre. Até que os “free thinkers ateístas” resolveram peticionar contra. Eu queria ver esses caras irem contra o islam. E isso não vai acontecer, já sei de antemão, porque eles são anticristãos disfarçados de laicos, além de serem uns cuzões e saberem que perseguir cristãos e ridicularizar Jesus Cristo é o esporte mais antigo do mundo e quase ninguém vem em defesa do cristianismo, muito pelo contrário.
        Saudações
        Blog Esquerdopatia

  2. Cristãos não devem pegar em armas… O problema da comemoração natalina em uma base militar começa por aí, e além do mais o natal é advindo de uma festa pagã. Sendo assim, creio que os ateístas fizeram a vontade de Deus pensando estarem fazendo um ataque. O natal é anticristão e aniquilá-lo é a vontade de Deus, e em breve toda a religião falsa cairá, os homens pensarão estar a acabar com Deus, mas farão sua vontade, o mundo viverá um período de falsa paz e então virá o fim. E graças a Deus ele está próximo. Alegrai-vos, pois está próximo o livramento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s