Universidade Católica americana proíbe a criação de um Clube de Estudantes Conservadores


Por Todd Starnes, da Fox News, 05 de outubro de 2012

_______________________________________

Exemplos de perseguição esquerdista como o que você vai ler neste artigo estão acontecendo em todos os lugares do mundo. A esquerda mundial cresce exponencialmente a cada segundo, espalhando seus tentáculos demoníacos em todas as esferas da sociedade, até mesmo em instituições que se dizem católicas. A esquerda busca a hegemonia, dominação e extermínio de seus opositores, com o auxílio de milhões de idiotas úteis. Até quando?

O título do presente artigo faz referência a algo ocorrido em uma Universidade Católica americana, porém algo muito semelhante ocorreu na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, em 1997, quando os jovens editores do pequeno jornal “O indivíduo” foram agredidos por uma turba de esquerdistas, enquanto seus jornais eram queimados. A cambada de agressores ensandecidos dançava em volta da fogueira, ameaçando queimar junto os editores do referido jornal. O reitor da PUC RJ apreendeu o restante dos jornais que não haviam sido queimados no ataque, alegando liberdade de expressão (sic). Este acontecimento é narrado em detalhes, entre tantos outros, pelo Professor Olavo de Carvalho em seu livro o “Imbecil Coletivo II”.

_______________________________________

Estudantes conservadores da Universidade Azusa Pacific, uma universidade cristã evangélica perto de Los Angeles, foram impedidos de começar uma subsidiária do grupo chamado Young Americans for Freedom – YAF (Jovens Americanos pela Liberdade) porque a escola teve um “problema” com os princípios do grupo.

A YAF é um programa nacional dedicado à apresentação aos jovens estudantes de valores tais como liberdade individual, identidade nacional, livre iniciativa e os valores tradicionais. A fundação também é proprietária e mantenedora de uma sede chamada Rancho Reagan (em homenagem ao ex-presidente americano Ronald Reagan).

Patrick Coyle, vice-presidente da YAF nacional, disse que eles foram abordados por estudantes da Azuza Pacific que queriam criar uma subsidiária da YAF na sua universidade.

“Eles foram informados pelos administradores de que não poderiam criar a subsidiária da YAF porque eles [os administradores] tinham visto o nosso site e não gostaram da linguagem que usamos”, disse Coyle a Fox News.

Administradores da universidade disseram que eles não têm absolutamente nenhum problema com os clubes conservadores – porém tinham um problema com a YAF e as referências em seu site identificando os professores esquerdistas e feministas radicais que estão tentando assumir os campi universitários de todo o país.

Ashley Blackwell foi um dos alunos que desejava iniciar a subsidiária da YAF. Ela é atualmente a presidente do Clube de Jovens Conservadores no campus.

“É realmente decepcionante que uma escola, que promove a diversidade e usa o mantra ‘todos são importantes’, proíba um clube existente de alterar seu nome [para YAF] “, disse ela.

Coyle perguntou a Chuck Strawn, o diretor da universidade “se havia regras escritas que os alunos haviam violado e ele disse que não. Ele disse que era apenas uma opinião sua.”

Strawn disse que a linguagem específica que a universidade Azusa Pacific achou problemática no site da YAF é a seguinte:

“Você está cansado das ideias esquerdistas dominantes seu campus? Você está cansado de professores esquerdistas e marxistas doutrinando seus colegas? Você quer defender o conservadorismo? Se você respondeu sim, então você deve criar uma subsidiária da YAF. Sucursais da YAF fazem a diferença, corajosamente defendendo a liberdade e o conservadorismo. As feministas radicais, os burocratas do governo, os ecoterroristas, os criadores de tensões raciais, os islamo-fascistas, e vários outros tipos de esquerdistas estão perturbados em sequer imaginar que você promova ideais conservadores”.

Blackwell disse “É ainda mais frustrante saber que esta censura não é baseada no regulamento e nas políticas da universidade Eles simplesmente não concordam com a linguagem no site da YAF com relação aos professores esquerdistas. Acho que a verdade dói.”

Coyle concordou, observando: “Eu acho que é muita arrogância dizer aos estudantes que eles não podem decidir sobre o nome do grupo. Isso deveria ser uma decisão dos estudantes e não dos administradores da universidade.”

Jennifer Walsh, reitora do curso de Liberal Arts , era parte integrante nas discussões que culminaram com a proibição.

“Somos sensíveis à necessidade de garantir que estamos mantendo nossa identidade centrada em Cristo e não permitir que os alunos se alinhem com grupos que são abertamente partidários”, disse à Walsh a Fox News.

_______________________________________

Aqui cabe um comentário (do blog esquerdopatia): As universidades podem ser um ninho de professores doutrinadores esquerdistas, feministas, abortistas, marxistas e islâmicos radicais, porém criar uma subsidiária da YAF, que prega os valores conservadores, não pode. Percebam como essa gente realmente é oportunista, hipócrita, cafajeste e farsante. Tenho certeza que esse não é um exemplo isolado – pelo contrário, é a regra. _______________________________________

Walsh confirmou que o diretor da universidade “ficou um pouco perturbado” por conta da linguagem do site da YAF. “[O site] parecia ser intencionalmente dirigido para estudantes que estão enfrentando um ambiente de aprendizagem hostil. Isso não é o que temos em Azusa Pacific”.

Ela disse que a universidade acabou determinando o clube não seria uma boa opção.

“Não foi tanto que YAF está promovendo pontos de vista conservadores. Foi mais porque não combinava com o clima no campus. Ele pode encorajar um discurso que é abertamente partidário.”, disse Walsh.

A universidade não tem um clube republicano (direita americana) e um grupo democrata (esquerda americana). Em vez disso, eles oferecem um clube conservador e um clube progressista.

Walsh disse que era “lamentável que esse aluno tenha criado uma tempestade num copo d’água” sobre o que ela chamou de um simples mal entendido.

“Estamos tentando evitar os mesmos discursos polarizados que estão acontecendo na sociedade”, disse ela. “Não é que não temos uma discussão saudável. Nós a temos. Mas tendemos a fazê-lo a partir de uma perspectiva bíblica – que incentiva a unidade em vez de divisão.”

Tradução: blog esquerdopatia

Anúncios

Sobre Esquerdopatia

Minha missão é abrir os olhos para o mal que vem tomando os corações e mentes do mundo, uma psicopatia grave chamada esquerda, socialismo, comunismo ou coletivismo e seus companheiros de viagem, quais sejam: feminismo, islamismo, gayzismo, globalismo, paganismo, ateísmo. Muitas mentes e almas já estão perdidas, tamanha a lavagem cerebral a que foram submetidas, e não vêem o mal, mesmo que este lhes estapeie a cara. Porém, algumas ainda tem salvação. Nestas que pretendo concentrar meus esforços. So help me God.
Esse post foi publicado em Catolicismo, Esquerda, Estados Unidos, Revolução cultural e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s