Um dia na vida torturante dos cristãos do Oriente Médio


por Theodore Shoebat, da FrontPageMag, 13 de fevereiro de 2013

Vinte igrejas foram destruídas, abandonadas ou danificadas, e cem cristãos foram assassinados, na Síria. Isso vai ficar mais e mais grave como o fundamentalismo islâmico continuamente conquistando mais espaço no Oriente Médio. O patriarca de Antioquia, Gregório III, fez esta declaração:

“Muitos de nossos filhos foram seqüestrados, e nós pagamos grandes somas para que fossem devolvidos. Cerca de cem dos nossos filhos foram mortos, enquanto mais de mil diferentes seitas cristãs foram atacadas. … Os crentes de nosso Senhor e sacerdotes foram expulsos. Os sacerdotes não falam ao seu povo ou oram a liturgia há mais de um ano.”

As mulheres estão sendo abusadas, as pessoas estão sendo assassinadas e seqüestradas. Arquidiácono Emanuel Youkhana da Igreja Assíria do Oriente, disse:

“Estamos vendo outro país árabe perder a sua minoria assíria cristã. Quando isso aconteceu no Iraque ninguém acreditava que a vez da Síria chegaria. Cristãos assírios estão fugindo em massa de ameaças, seqüestros, estupros e assassinatos. Além do relatório diário sobre bombas há uma limpeza étnico-religiosa acontecendo e, logo, a Síria pode ser esvaziada de seus cristãos.”

Milhares de cristãos estão deixando a Síria, assim como os hebreus fugiram do Egito. O patriarca sírio referiu a isto como um “grande êxodo que ocorre em silêncio.”

Estamos voltando aos aos dias de El Hakim, o líder muçulmano do século 11, que destruiu 30 mil igrejas no Egito. A Igreja foi mantida na pobreza constante por conta de pesados ​​impostos; nenhum cristão foi autorizado a montar em qualquer animal, exceto um burro ou mula, e até as selas tinham que ter uma marca que as distinguisse das demais. Cada cristão era obrigado a colocar em sua porta a imagem de madeira de um macaco, cachorro ou o diabo. As orações públicas foram proibidas, todas as cruzes foram banidas (a esquerda e os ateístas estão tentando isto aqui no Brasil) e, como ervas daninhas em um campo luxuriante, minaretes brotaram e igrejas foram queimadas. E, assim como os nazistas forçaram todos os judeus sob o Terceiro Reich de colocar um pedaço de pano amarelo com a Estrela de Davi, os muçulmano fazem o mesmo, exigindo que os cristãos usem um pedaço de pano para identificação.

Em uma tarde de junho de 1320, mesquitas em todo o Egito estavam fazendo as orações sexta-feira e, em várias congregações, homens levantaram-se e gritaram: “Deus [Alá] é ótimo! Deus [Alá] é grande! Ó meus irmãos, vamos seguir em frente e destruir as igrejas!”. No Cairo, o mesmo grito de guerra foi ouvido em três lugares ao mesmo tempo. Era um enredo calculado, pois os conspiradores entenderam que é fácil incitar as massas e funcionou o suficiente para despertar a multidão para a violência. Eles atacaram a igreja de Zehry, e nem uma pedra do santuário foi deixada sobre a outra.

Eles, então, invadiram e danificaram a igreja de São Mena na região de Hamra. A multidão quebrou a Igreja da Virgem, expulsaram todas as freiras e as deixaram nuas, saquearam a igreja de seus objetos de valor e depois atearam fogo. Os mesmos lixos da humanidade destruíram mais 56 igrejas e incontáveis conventos. A multidão correu para o sultão e gritou:

“Que não haja fé, exceto a do Islã! Deus proteja a fé de Maomé! O comandante dos fiéis tu, ajuda-nos contra os infiéis. Nenhum favor aos cristãos! “

O sultão, a contragosto, concordou com os desejos das massas e a multidão ficou em êxtase com a liberdade dada a eles. Os detalhes da violência eu deixo para sua imaginação, mas sabemos que os cristãos foram ferozmente reduzidos ao servilismo; qualquer cristão que foi pego usando um turbante branco ou andando a cavalo foi assassinado.

Estamos entrando em estes mesmos males do passado. O governo egípcio e as pessoas estão usando, e vão continuar a usar mentiras e falsas alegações para usar de violência contra os cristãos. Em Quena, oito casas e comércios de cristãos foram atacados; edifícios e carros foram incendiados e a igreja de Abu Fam foi profanada. O motivo? A falsa acusação de que uma menina muçulmana foi abusada sexualmente por um cristão.

Michael Farag e Michael Shaker, ambos os coptas, foram condenados a três anos de prisão por supostamente atacar soldados e veículos militares e por incitar a violência, porém é tudo mentira para fazer os cristãos parecem como inimigos do Estado.

Uma quadrilha tomou uma igreja e fez dela um antro de drogas, sem qualquer intervenção da polícia. Uma mulher chamada Nadia Mohamed Ali e seus sete filhos foram presos por terem se convertido ao cristianismo.

A Líbia está se transformando em um país anárquico, graças à conspiração de jihadistas, Obama, a OTAN e outros países ocidentais.

Obama, o anticristo, tem sido um apoiador da Irmandade Muçulmana. É uma aliança da esquerda com o islamismo, feita para destruir o cristianismo. A filosofia da esquerda não é radicalmente diferente do islamismo, mas realmente muito parecida.

Hegel, um filósofo bastante popular entre a esquerda, descreveu o Islã como:

“Revolução do Oriente, que destruiu toda a individualidade e independência e claramente purificou a alma e a disposição, fazendo do Deus abstrato [Alá] o objeto absoluto de atenção e dedicação e, na mesma medida, pura e subjetivamente a consciência do conhecimento Deste [Alá] por si só o único objetivo da realidade. “

Friedrich Nietzsche, outro profeta dos progressistas, escreveu em seu livro O Anticristo:

“Se o Islã despreza o cristianismo, tem mil vezes o direito de fazer isso: o Islã, pelo menos, supõe-se que está a lidar com homens … O cristianismo destruiu toda a colheita da civilização antiga e, mais tarde, ele também destruiu toda a colheita da civilização de Maomé.”

Este espírito totalitário está vivo e se sente bem com a esquerda no Ocidente e no mundo muçulmano do Oriente. Ambos os lados se uniram para destruir o único farol de Luz sobre a terra: a Santa Igreja.

Anúncios

Sobre Esquerdopatia

Minha missão é abrir os olhos para o mal que vem tomando os corações e mentes do mundo, uma psicopatia grave chamada esquerda, socialismo, comunismo ou coletivismo e seus companheiros de viagem, quais sejam: feminismo, islamismo, gayzismo, globalismo, paganismo, ateísmo. Muitas mentes e almas já estão perdidas, tamanha a lavagem cerebral a que foram submetidas, e não vêem o mal, mesmo que este lhes estapeie a cara. Porém, algumas ainda tem salvação. Nestas que pretendo concentrar meus esforços. So help me God.
Esse post foi publicado em Ameaça islâmica, Catolicismo, Esquerda e marcado , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Um dia na vida torturante dos cristãos do Oriente Médio

  1. Excelente post!
    Enquanto tudo isso acontece, a internet brasileira é inundada de todo tipo de piadinhas com a declaração de Bento XVI. Ninguém ousa brincar com os aiatolás ou com Alá, mas com o Bispo de Roma, pode tudo. É muito engraçado ver os “corajosos” zombarem de um homem que jamais mandaria fazer qualquer coisa contra a zombaria. Jesus continua sendo escarrado diariamente, enquanto Maomé não pode nem ser desenhado num jornal.

  2. Helder manuel disse:

    Gosto disso e assim vamos espalhar o cristianismo no mundo com ajuda do noss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s