Punindo as formigas, premiando as cigarras


João poupou durante décadas para construir uma reserva financeira destinada a sua aposentadoria, pois queria não ter que se preocupar o sustento próprio e de sua esposa no futuro. João trabalhou a vida inteira e guardou parte de seus rendimentos para curtir tranquilo sua velhice, deixou de consumir várias coisas que tinha vontade enquanto mais jovem  no intuito de poder consumir quando estivesse aposentado. João guardou dinheiro para viajar pelo mundo e  para comprar aquela casa de praia que sempre sonhou. Pagou muitos impostos a vida inteira, inclusive sobre sua renda e seu consumo.

Mário dedicou sua vida inteira a sua empresa. No começo, quando a empresa não passava de um projeto escrito em papel e projeções financeiras, arriscou seu capital e o capital de terceiros para começar a sua loja. Passava grande parte do dia trabalhando, muito mais do que a maioria das outras pessoas. Mário chegava voltava para sua casa sempre tarde e não passava tanto tempo com sua família quanto desejava. Depois de oito anos trabalhando sem férias, organizou sua empresa para conseguir tirar 10 dias de férias por ano, perto do Natal e do Ano Novo, para viajar com sua família. Tanto Mário quanto sua empresa pagaram muitos impostos a vida inteira.

Flávio nunca foi muito chegado em trabalho. Quando trabalhava, era em empregos que exigiam pouca dedicação, demandavam pouca responsabilidade e geralmente não ficava mais do que um ano numa mesma empresa. Sempre que podia, vivia de seguro desemprego ou de alguma assistência governamental, algumas vezes recorrendo a fraudes para conseguir o máximo de benefícios governamentais. Não pensava no futuro e seu horizonte de vida se resumia no dia a dia. Nunca quis nem tentou guardar um centavo para quando chegasse sua velhice. Era totalmente dependente de tudo que o estado lhe oferecia.

Assim como Flávio, muitas pessoas foram percebendo que era possível às custas do estado. Saúde, educação, segurança, moradia e até renda vinha por meio de mágica! E muitos não precisavam fazer absolutamente nada, além de enfrentar algumas filas em repartições públicas de vez em quando para preencher alguns cadastros. Enquanto vários “otários” se matavam de trabalhar e pagavam impostos, era possível viver sem trabalhar ou, pelo menos, sem trabalhar todos os dias do ano, como os outros “otários”.

Os políticos que venciam as eleições prometiam bolsas, benefícios, ajuda, dinheiro, subsídios, vale-gás, vale-comida, vale-tudo, concessão de aposentadoria independente de contribuição por tempo de serviço para determinadas profissões, moradia paga pelo governo, transporte subsidiado, etc. Aqueles políticos pertenciam ao Partido Trabalhista e seus partidos aliados e vinham se perpetuando no  poder há duas décadas. Os gastos públicos para manter aquele bando de vadios só aumentavam e os impostos sobre a classe que realmente produzia as riquezas do país crescia, ano a ano. O rombo chegou a ficar tão grande, que os impostos escorchantes já não mais suficiente para manter aquela corja de vagabundos que viviam de dinheiro distribuído pelo governo. Foi então que o governo teve uma ideia genial: vamos decretar um feriado bancário e abocanhar 30% de tudo que Mário e João e muitos outros trouxas como eles guardaram a vida inteira, para continuar a bancar o governo e os vagabundos!

O povo, que era composto em grande parte por pessoas que recebiam alguma coisa do governo achou justo, pois os “ricos capitalistas exploradores da classe proletária tinham que pagar sua justa parte” e “os ricos são sempre egoístas mesmo… Imagine só! Eles tem um monte de dinheiro nas contas, provavelmente dinheiro que veio do trabalho dos outros, que foram explorados sem dó por chefes malvados”.

____________________________________

Hoje em dia, o mundo todo é socialista. A europa, por exemplo é governada por partidos socialistas em todos os países que compõe a União Européia. Achou-se que se poderia manter grande parte da população vivendo na vadiagem, trabalhando poucas horas por dia, com uma multidão vivendo de salário desemprego e com gastos estratosféricos para garantir pão e circo para vagabundos que nada produziam. Chegou a hora da verdade e o capital acumulado anteriormente – fruto do empreendedorismo capitalista e do trabalho de gerações passadas – foi todo gasto ao longo de décadas de boa vida para todos, independente de trabalho e produtividade que pagassem pelos gastos.

O Chipre, por exemplo, anunciou que vai morder 30% de todas as contas correntes que possuírem saldo superior a cem mil euros. João e Mário, os personagens da nossa historinha,  que trabalharam e pouparam a vida inteira foram duramente punidos. Os vagabundos que vão ter que trabalhar e perder parte da vida boa que tinham antes foram para a rua queimar carros, jogar pedras na polícia, pedir “justiça social”, quebrar lojas e gritar palavras de ordem contra o capitalismo selvagem. Para esta gente, a fábula da formiga e da cigarra não passa de uma historinha boba. A moral da história para eles é que, em terra de socialistas, quem é cigarra é rei. As formigas só se lascam.

Anúncios

Sobre Esquerdopatia

Minha missão é abrir os olhos para o mal que vem tomando os corações e mentes do mundo, uma psicopatia grave chamada esquerda, socialismo, comunismo ou coletivismo e seus companheiros de viagem, quais sejam: feminismo, islamismo, gayzismo, globalismo, paganismo, ateísmo. Muitas mentes e almas já estão perdidas, tamanha a lavagem cerebral a que foram submetidas, e não vêem o mal, mesmo que este lhes estapeie a cara. Porém, algumas ainda tem salvação. Nestas que pretendo concentrar meus esforços. So help me God.
Esse post foi publicado em Esquerda, Europa, PT - Partido dos Traballhadores e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s